faculdade presencial e semipresencial

Conheça a diferença entre o ensino presencial e o semipresencial

Danielle Esteves

Atualmente, todas as pessoas vivem com pressa. Esse ritmo caótico dá uma sensação de que o dia passou e as tarefas não foram cumpridas, acabando sempre delegadas para depois. E as falas mais comuns nos quatro cantos do mundo são “não tenho tempo” e “precisava de um dia maior”.

Os relógios não correm, e cada dia tem 24 horas. Todo mundo tem tempo quando sabe organizar a rotina diariamente, mas as desculpas acima impedem a realização de atividades que fazem a diferença na qualidade de vida das pessoas. Viagens, momentos de lazer e exercícios geralmente são deixados de lado.

Falando em ritmo caótico, como essas pessoas conseguem se dedicar ao ensino superior? Elas não conseguem, então a graduação também está fora da rotina, mesmo que os estudos sejam fundamentais para o crescimento profissional. Para elas, é impossível estar presente nas aulas, fazer trabalhos acadêmicos e participar das atividades extracurriculares.

Por isso, foram criados os cursos de graduação semipresenciais e à distância (EAD). O segundo é bem conhecido, mas o primeiro ainda gera dúvidas. Você sabe a diferença entre o ensino presencial e o semipresencial? Vamos explicar.

curso presencial ou semipresencial

Ensino presencial

Os cursos presenciais são as graduações tradicionais, nas quais o ensino é totalmente, ou em sua maioria, presencial (algumas universidades possuem carga horária mínima de EAD). As aulas ocorrem no campus da instituição em horário determinado e a frequência do aluno pode interferir diretamente em seu desempenho.

Além do valor alto das mensalidades, os estudantes possuem também as despesas de transporte e alimentação. Mesmo assim, essa metodologia de ensino ainda é a mais procurada por quem precisa de uma rotina disciplinar para acompanhar os estudos.

Ensino semipresencial

Os cursos semipresenciais são caracterizados pela necessidade da presença do aluno no campus da instituição em horário determinado, porém menos vezes. Ou seja, a maioria do conteúdo é passada pela plataforma digital e as aulas na instituição ocorrem uma ou duas vezes por semana.

O valor é mais acessível, os gastos com transporte e alimentação são reduzidos e, ao mesmo tempo, essa modalidade de ensino ainda exige que o estudante tenha uma rotina disciplinar no local de estudo. Essas condições vêm atraindo cada vez mais quem busca um curso superior.

A procura por EAD só aumenta

A ideia de flexibilizar os estudos, podendo realizar as atividades no seu tempo livre, tem conquistado os graduandos. De acordo com os dados do Censo de Educação Superior realizado pelo Ministério da Educação (MEC), o número de vagas ofertadas para o EAD superou as do ensino presencial em 2018. É um acontecimento inédito na história da educação no Brasil.

No ano passado, foram oferecidas 7,1 milhões de vagas para cursos a distância, contra 6,4 milhões para cursos presenciais. O número de alunos matriculados na modalidade tradicional (6,4 milhões) ainda supera o EAD (2 milhões), mas a educação a distância é uma tendência que está em constante crescimento.

O valor das mensalidades, a possibilidade de diminuir gastos e, sobretudo, poder estudar a qualquer momento e de qualquer lugar que tenha uma conexão com a internet, é a prova de que o futuro está batendo à porta.

É também uma forma de democratizar o ensino, tornando-o acessível a mais pessoas que buscam a primeira ou a segunda faculdade sem que precisem abrir mão do mercado de trabalho ou quaisquer outras atividades presentes em seu planejamento diário.

E aí, qual modelo de curso tem mais a ver com você?

Visite nosso site!

Mais Posts

RECEBA NOVIDADES SEMPRE!

Inscreva-se em nossa Newsletter.

Screen Shot 2018-11-06 at 16.04.14
Compartilhe nas suas redes sociais.